5126

3 formas de agregar inteligência de negócios à sua empresa

Inteligência de negócios foi e continua sendo um fator de extrema relevância.

Propiciar à empresa o acesso a ferramentas e métodos que tornem sua capacidade de atuação melhor e elevem seus resultados é sempre uma prioridade para os gestores.

De acordo com uma pesquisa feita pela Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) em conjunto com a consultoria IDC, por exemplo, o investimento em TI no mercado brasileiro cresceu 4,5% no ano passado (2017).

Um dado como esse nos faz pensar o quanto, mesmo em meio a um período econômico mais difícil, a influência de tecnologias na área de negócios permanece como um ponto capaz de agregar diferencial.

Para você entender de como anda esse cenário, trazemos a seguir informações sobre 3 formas de agregar inteligência de negócios e de que modo as organizações estão fazendo isso.

Fique por dento e confira:

Inteligência de negócios (BI)

Investir em tecnologias analíticas continua sendo essencial para que as empresas consigam elevar seu potencial de acerto nas tomadas de decisão por meio dos insights que obtêm por meio da análise de seus dados.

Como aplicar:

– Consiste, basicamente, em dotar a empresa de ferramentas de análise de dados que apontem pontos fracos e fortes, possibilitando enxergar oportunidades e se corrigir problemas, com visualização de cenários.

Vantagens:

– Base para a empresa agir de maneira mais fundamentada e sem desperdiçar recursos (sejam humanos ou financeiros) e tempo, correndo menor risco de errar e também tendo mais coerência até nas compras corporativas, diminuindo “gargalos”.

– Na análise descritiva podem ser utilizados recursos como scoreboards, dashboards, consultas avançadas e até alertas.

– Nas preditivas a análise do que se passou anteriormente no cenário ou em determinado evento e projeção de comportamentos e adequação de planejamento com apoio estatístico que permite analisar probabilidades de ocorrências futuras e pensar em ações.

Segmentos que mais pode ajudar:

– Exemplos: setores do varejo, do financeiro, de seguros, educação, marketing, áreas comerciais e de negócios em geral.

Inteligência artificial (IA)

Enquanto o BI se concentra em fornecer os dados para análise, a inteligência artificial consegue “processar” esse contingente e muitas vezes, transformá-los em um trabalho prático por meio da utilização de informações mais precisas, o que auxilia em momentos críticos e específicos (veja mais aqui sobre inteligência artificial aplicada aos negócios).

Talvez por essa razão haja, inclusive, a afirmação de que em algumas situações se completam.

Como aplicar:

– A disponibilização de recursos a partir da inteligência artificial atua em uma frente que se baseia, ainda, em experiência diferenciada, personalizada e melhor nesse sentido aos clientes, o que é cada vez mais importante.

– Aplicativos que interagem com o usuário em rede, quando ele acessa determinado programa online para obter ajuda em produtos e serviços, podem ser exemplo. Alguns aplicativos como os de e-commerce seguem essa lógica para despertar e “dialogar” com os interesses dos clientes.

– Chatbots são outro exemplo em evidência. No setor de bancos esse tema foi amplamente discutido no chamado CIAB FEBRABAN 2017.

Vantagens:

– Por meio da capacidade de analisar uma série de registros a respeito do perfil de interação e intenção de determinado consumidor, a inteligência artificial consegue apresentar-lhe opções mais atrativas e, assim, atender a demandas e necessidades de forma muito mais certeira e rápida. A ideia é conseguir entender melhor os clientes e proporcionar atenção mais satisfatória.

– Em muitos casos agilizam o atendimento que seria humano e ajudam a criar uma experiência personalizada justamente pela capacidade de agir rapidamente frente às informações que captam e processam.

Segmentos que mais pode ajudar:

– Exemplos: setores industriais, automotivo, de TI, logística e transporte, pesquisa e desenvolvimento.

Internet das coisas (IoT)

Por fim, a chamada “internet das coisas”, ou seja, a utilização de tecnologia programada em “objetos” para que obedeça comandos.

Como aplicar:

– Luzes ou portas com sensores, que se apagam ou se abrem sozinhas é algo cada vez mais presente em diversos ambientes de empresas.

Vantagens:

– A disponibilização e programação de determinados recursos tecnológicos nesse sentido permitem a automação empresarial e muitas vezes conseguem oferecer redução de custos, otimização de rotinas e tarefas.

– Isso agrega inteligência à gestão de recursos.

Segmentos que mais pode ajudar:

– Exemplos: setores da economia, serviços de saúde, serviços de transporte, financeiros, de telecomunicações e infraestrutura urbana.

Desse modo, tem-se que tanto um tipo de tecnologia como outra dentre as citadas, a depender do caso, pode oferecer benefícios a empresas em seus planejamentos ou mesmo na aplicação de recursos, de maneira que as ajudem a enfrentar desafios.

E então, sua empresa já conta com tecnologia e recursos que conseguem agregar maior inteligência e competitividade à gestão? Precisa de ajuda para implementar BI ou alguma solução nesse sentido?

Fale com a Kyros ou acesse nosso guia completo para investir em BI e saiba mais sobre as ferramentas que podem te ajudar nessa missão!

Postado por Kyros Tecnologia em 1 agosto, 2018


Comentários

Infográfico: Business Intelligence nas diferentes áreas do seu negócio

POSTS RELACIONADOS