Compreender o Big Data, logo, significa mais do que apenas classificá-lo como um grande conjunto de dados que as empresas vivenciam na modernidade.

2295

Big data: utilizando esse conceito para inovação e crescimento das corporações

As empresas vivem hoje duas situações paralelas que se interligam em um único desafio: a elevação da competitividade no mercado e o aumento veloz da quantidade de informações em seus ambientes, o que requer habilidade para organizá-las estrategicamente, obtendo insigths a partir disso.

Por outro lado, a empresa que não aprende a lidar ou se acostumar a essa nova necessidade não consegue garantir vantagem competitiva.

Dessa forma, cada vez mais vemos surgir expressões no mundo corporativo que, ao envolver tecnologia, demandam preparo dos gestores para lidar com uma nova realidade — Big Data é uma delas.

De acordo com levantamentos da Frost & Sullivan, por meio do estudo denominado Latin America Big Data and Analytics Market, Forecast to 2022, esse mercado, aliás, deve movimentar US$ 7,41 bilhões até lá.

Em cinco anos, portanto, devemos ter somente nessa porção do globo um aumento de quase 5 bilhões em relação ao que é visto hoje no setor (em 2016, o mercado de BDA registrou algo em torno de US$ 2,8 bilhões), mostrando o quanto isso vem se tornando importante para as empresas.

Mas será que você já sabe o que significa?

Afinal, o que é Big Data?

A tecnologia trouxe muitos benefícios e transformações para  a esfera organizacional e, com ela, dados coletados de variadas fontes todos os dias engrossam a camada de elementos capazes de gerar inteligência para os negócios se bem utilizados.

Big Data, em si, se refere exatamente a essa avalanche de informações que vêm chegando às organizações diariamente — e, consequentemente, a tudo o que ela traz consigo.

Por meio de diversos tipos de canais de interação com clientes, fornecedores e demais públicos de interesse ou por análises de mercado e indicadores de desempenho, por exemplo, as corporações vão reunindo informações que podem se cruzar para produzir respostas sobre o que está dando certo ou não, em quais pontos podem estar as principais falhas, os melhores investimentos e assim por diante.

Do mesmo modo, dados advindos de ferramentas de gestão integrada, incorporação de soluções para análise de cenários e indícios de comportamento, histórico de relacionamento, assim por diante, entregam à empresa um verdadeiro arsenal de dados que são estratégicos.

Compreender o Big Data, logo, significa mais do que apenas classificá-lo como um grande conjunto de dados que vai se formando como resultado da interação que as empresas vivenciam na modernidade.

É preciso entender que ele não é “inerte” e que ajuda as empresas a impulsionarem seus negócios. As informações não só se ajuntam rapidamente e “fazem volume” como também dizem algo válido, que deve ser aproveitado por quem as detém.

O que ele representa?

A princípio tudo isto que acabamos de dizer poderia apenas parecer um conjunto de informações desordenadas, isoladas ou de difícil classificação e interpretação conjugada.

Porém, se organizadas, alinhadas e cruzadas (interna ou internamente) podem representar um enorme potencial para a empresa saber como agir frente a diversas situações.
Tê-las não basta e agora isso enseja também saber como usá-las, abrindo espaço para conceitos como Business Intelligence.

Esse processo de lidar com o Big Data e com suas análises exerce papel fundamental na tomada de decisões com base em dados estruturados e, portanto, confere à empresa a capacidade de trabalhar com ações muito mais certeiras em diferentes frentes do negócio.

Benefícios do Big Data para diferentes setores:

Encarar o desafio do Big Data é definitivamente uma tendência que vem tomando conta de diversos segmentos. Utilizar esse conceito para inovação e crescimento das corporações é o que definirá os rumos da competitividade  (ou até da própria sobrevivência empresarial) daqui para frente.

Segundo informações divulgadas a partir de um relatório da consultoria McKinsey, empresas que fazem uso de análises na parte que envolve seus clientes alcançam melhoria de mais de 120% nos lucros e, com essa atividade intensificada e ampla, conseguem retê-los até 6 vezes mais, além de apresentarem 7,4 mais desempenho em relação a concorrentes e 19 vezes mais rentabilidade acima da média.

Desde o próprio ramo de tecnologia até empresas de prestação de serviços, e-commerce, lojas físicas, bancos, mercado imobiliário, de marketing digital até indústria automobilística, química — entre inúmeras outras — podem se beneficiar do conceito. Todo negócio precisa gerenciar dados, independente de seu porte. E hoje o Big Data está aí para nos mostrar o quanto isso é relevante para crescimento de qualquer nível.

E então, você já tem soluções que ajudam a analisar a grande quantidade de dados em sua empresa e a apoiar a tomada de decisões? Precisa de ajuda para gerar inteligência a partir deles?
Fale com a Kyros!

Postado por Kyros Tecnologia em 3 maio, 2017


Comentários

Infográfico: Uma visão geral do cenário de ti

POSTS RELACIONADOS