Contar com RPA para alavancar processos em sua empresa pode ir além das utilidades conhecidas em processos operacionais. Leia e descubra mais!

6979

RPA e assistentes virtuais: Conheça como podem ser usados no negócio!

Tecnologia de RPA -ou Robotic Process Automation- é um tema que tem estado cada vez mais em alta no mercado. E o uso dessa ferramenta pode criar uma ótima experiência para o usuário -leia aqui nosso post sobre como é a experiência que impacta a decisão do consumidor.

Segundo informações de um novo estudo da Grand View Research, Inc. o tamanho do mercado global de automação de processos robóticos (RPA) deve atingir US $ 3,97 bilhões até 2025. Além de que deve-se pensar que organizações diferentes em diferentes setores são cada vez mais desafiadas pela crescente concorrência devido à mudança na tecnologia e nas preferências dos consumidores.

RPA além do atendimento

Quando falamos em RPA que não seja especificamente ligado à área industrial, é comum pensarmos em sua aplicação nas funções de atendimento, por exemplo -vide nosso post sobre RPA ligado a outras ferramentas e sua importância aqui.

Porém, uma possível aplicação dessa tecnologia nas empresas que não precisam de processos industriais estaria além disso. Os chamados “assistentes virtuais” podem funcionar também em outras funções que a empresa queira desenvolver na interface com seus usuários e clientes.

Para entender melhor, basta imaginar situações em que “sistemas guiados por RPA” funcionassem como verdadeiros assistentes virtuais para determinados processos junto aos clientes.Veja a seguir alguns exemplos de possível ou potencial aplicação nesse sentido:

Conteúdos instrucionais e navegação “assistida”

Isso se dá no sentido de RPA funcionar como um “guia”, um “tour” pela ferramenta, produto ou serviço. Ou seja, “dotado” da capacidade de entender as dificuldades e preferências do usuário e de “guiá-lo” pela experiência conforme esses indicadores.

Um sistema programado com tecnologia RPA funcionaria como “instrutor” virtual, auxiliando e agilizando alguns processos de aprendizado e apresentação de conteúdos para uma finalidade, podendo ser um treinamento ou mesmo um serviço em si.

No que tange à apresentação de conteúdos e tutoriais, o RPA funcionaria como um “tutor” inteligente, apresentando informações ao usuário -atendendo igualmente o cliente, assim como um bot, no caso, mas não com função comercial e sim de assistência nessa fase que seria “pós-venda” ou “pós-compra”.

Imagine que sua empresa comercialize algum produto específico e o seu cliente necessite de receber um treinamento ou dispor de informações prévias, a fim de conseguir utilizá-lo extraindo o máximo proveito. Ao adquirir o produto, um assistente virtual daria instruções para a utilização da mercadoria -produto físico- gerando uma boa experiência de usuário, sem necessidade de se locomoção, e na hora que ele precisar.

Agora pense que esse mesmo consumidor contrate uma plataforma ou “serviço digital” para lhe atender em alguma demanda específica, talvez um software que venha a ser desenvolvido para sua empresa. Com um assistente virtual implementado na rotina da empresa poderia se agilizar o processo de aprendizagem, pois essa assistência estaria disponível a todo momento e as dúvidas poderiam ser esclarecidas via chat.

Capacitação de equipes e personalização de funções

Pense no caso de um software que sua empresa adquire para servir de apoio na automação de tarefas ou controles de gestão -ERP, por exemplo. Sua equipe, ao recebê-lo, pode, além de ter contato com consultores e especialistas, usufruir de alguma funcionalidade virtual que não seja apenas “consultiva” para esclarecer dúvidas e resolver possíveis problemas.

Um bot, à base de tecnologia de RPA, poderia ser programado para funcionar como um “assistente presencial” que acompanhasse a equipe em suas principais tarefas, dúvidas ou desafios, em especial ligados à adesão da ferramenta, e identifique-os “sozinho”, de modo a potencializar seu uso e fortalecer o trabalho de apoio que fosse feito inicialmente por um profissional capacitado diretamente na empresa.

Estando integrado à uma equipe de suporte, ainda, pode ajudar a coletar informações e relatórios essenciais sobre o funcionamento da ferramenta, ajudando a controlar e adaptar melhor suas funcionalidades para que se consiga torná-la ainda mais desenvolvida -de acordo com o que a empresa quer e precisa, o que contribui para o processo de agregar ainda mais resultados à operação da companhia.

E a sua empresa? Já utiliza bots ou tecnologia de RPA para oferecer uma experiência maior para seu cliente no contato com produtos e serviços? Gostaria de ver quais as possibilidades que ela tem com isso? Fale com a gente e solicite um contato!

Postado por Kyros Tecnologia em 26 junho, 2019


Comentários

E-book: Guia completo para investir em BI

POSTS RELACIONADOS