1168

Como garantir a qualidade do software sem perder o time to Market?

Dinâmica como é, a tecnologia coloca seus profissionais e responsáveis sempre frente a grandes desafios. Um deles é o de desenvolver soluções de alta performance sem perder competitividade inclusive no quesito tempo (time to market), já que qualquer atraso ou descuido pode comprometer a expectativa e avaliação de quem irá operá-las.

Atingir oportunidades de negócios assim exige agilidade e profundo conhecimento de metodologias de ponta na fabricação e no teste de softwares.

Inovar significa não só estar a frente de seus concorrentes no que diz respeito ao lançamento, como, também, de fato disponibilizar uma ferramenta que faça algo a mais pelos usuários.

As duas coisas precisam caminhar juntas para a tecnologia de sua empresa ter um diferencial verdadeiro: tempo de desenvolvimento e lançamento mais qualidade e desempenho.

Se você tem produtos de tecnologia para desenvolver e se vê diante deste dilema, a pergunta principal deve ser: o que fazer, então, para garantir a qualidade do software sem perder o time to market?

Confira a seguir algumas dicas para vencer esta etapa:

#Planejamento e ajuste de workflow

Uma grande chave para garantir qualidade sem perder o time to market está, inevitavelmente, no quesito testes, fator em que se deve investir.

Isto porque testando sua empresa não só verifica se o software está com a funcionalidade acertada como também garante que um descuido em alguma etapa inicial não comprometa todo o resultado final depois que outras etapas tenham começado, o que pode gerar atrasos ao se refazer todo o caminho errado.

Para desenvolver um software com segurança é importante que haja adequado planejamento de todas as etapas previstas para o trabalho, de modo que se possa trabalhar bem com os prazos e entregas, sejam elas intermediárias ou não (ainda mais se for desenvolvido com base em scrum).

Para isto, é necessário também que toda ferramenta e sistemas de avaliação de desempenho utilizados estejam de acordo com a metodologia adotada no desenvolvimento.

#Rotina de testes

Tal compatibilidade permitirá que o acompanhamento da atividade seja muito mais centrado (aproximando de forma mais intensa as expectativas – planejamento – da realidade – resultados), o que permite atuar com maior foco em encontrar soluções sob medida para cada problema ou lacuna.

Com workflows bem organizados e que facilitem o acompanhamento, fica mais fácil cumprir os prazos sem ter deixado nenhuma etapa de testes ou de melhorias/incrementos para trás.

Neste ponto, é importante que qualquer ferramenta utilizada neste processo também esteja adequada à metodologia utilizada, para respeitar suas peculiaridades e facilitar o acompanhamento real.

O software não pode ir para o cliente testado como outro que não foi desenvolvido da mesma forma. Se isto acontecer, ele pode deixar de verificar alguma coisa importante, ser incompleto ou até apontar perspectivas distorcidas sobre a performance.

Por isso, toda atenção nesta atividade é muito requerida.

Caso os workflows não estejam ajustados, alguma etapa pode ser pulada e a ferramenta chegar com erros ao usuário final, que passaram batidos na fase de testes e amostragem. Nem toda forma de testar funciona para todo o tipo de projeto, já que podem existir especificidades na alternação de metodologias.

#Indicadores e fase de homologação

Para facilitar o entendimento das fases do projeto, não despreze a disponibilidade de indicadores e gráficos que demonstrem o  andamento da fabricação e testagem do software e também a correta visualização da classificação das fábricas, de modo que se possa identificar e tratar cenários mais críticos.

Outro ponto importante é a necessidade de criar mecanismos para que as homologações e a validação do usuário final seja mais ágil e eficaz.
Muitas vezes perde-se tempo justamente nesta fase. É como correr um percurso todo e perder a classificação desejada por algumas passadas que poderiam ter sido mais rápidas.

#Aposte em uma ferramenta diferenciada

Centralizar os controles em uma única ferramenta pode ajudar a unir ainda mais o fator qualidade com time to market.

Desde a criação de cenários de teste até o apontamento de evidências sobre o desempenho, a rotina de testes deve ser acompanhada de modo que se permita avaliar bem a evolução e intervir rapidamente nas fábricas comprometidas.

Pelo dashboard de um sistema de testes diferenciado pode-se observar todos estes fatores com maior facilidade.

Além disto, existe ainda uma coisa muito importante quando falamos em ganhar tempo sem perder qualidade: a possibilidade de acompanhar em tempo real e agir de imediato no desenvolvimento, quando preciso.

Para isto, acompanhar online a rotina de testes e a evolução dos trabalhos e poder acessar estas informações de forma móvel permite que o gestor do projeto aja com maior prontidão quando surge algum problema, evitando o comprometimento dos demais ciclos.

Isto tudo contribui para que o resultado final seja o aumento de credibilidade das ferramentas perante os usuários finais, refletindo qualidade que evita retrabalhos.

Entendeu como começar a ver os fatores qualidade e time to market como pareados no processo de desenvolvimento de seu software? Deseja receber mais ajuda quanto a este processo?

Assine nossa newsletter e entre em contato conosco para descobrir mais sobre como garantir controle de qualidade de seus softwares sem comprometer o cronograma de seus projetos!

Postado por Kyros Tecnologia em 15 fevereiro, 2017


Comentários

Infográfico: Uma visão geral do cenário de ti

POSTS RELACIONADOS