8043
O impacto da gamificação nas metodologias ágeis

As empresas estão sempre buscando formas de inovar e progredir. Utilizam novas tecnologias e elaboram novos processos, o que sem dúvidas é fundamental para o futuro da organização.

Mas onde entra o colaborador nesses processos? Será que a questão comportamental do trabalhador tem sido trabalhada com o mesmo ímpeto? Estariam os profissionais motivados com as sucessivas mudanças?

Neste artigo você irá compreender os impactos comportamentais que a implantação sem cuidado das metodologias ágeis geram nas organizações, equiparando seu impacto com a implantação utilizando-se de estratégias de gamificação.

Como funcionam as Metodologias Ágeis

As metodologias ágeis de fato trazem benefícios que agilizam a entrega do produto e/ou serviço contratado. Elas permitem adaptar o modo de trabalhar às condições do projeto, alcançando flexibilidade e rapidez na resposta para adaptar o projeto e seu desenvolvimento às circunstâncias específicas do ambiente. Geralmente são utilizadas em soluções de software.

Acontece que, se analisado o cenário organizacional como um todo, logo são encontrados contratempos que dificultam a implantação dessas metodologias. O motivo principal é a falta de propósito real para a organização.

Implantar um procedimento por si só, não diz nada. As soluções até visam uma entrega mais rápida e com um processo mais participativo para o cliente. Mas os colaboradores enxergam valor e estão motivados para implantar novas metodologias? Ou estamos gerando mais ansiedade no dia-a-dia das pessoas com mais processos e mais reuniões?

Precisamos ter claro em mente que, de pouco adiantam novas metodologias e diagnósticos, se falhar a vontade de levar à prática o que se pensou, por isso o foco tem que estar sempre nas pessoas.

As reuniões são de fato importantes? São. As metodologias ágeis podem trazer benefícios à produção? Podem. Ambos visam trazer mais organização ao processo de trabalho e tornar a produção mais fluida. Mas esse cenário é sustentável?

Um ambiente que não prioriza a humanização das rotinas se torna desgastante rapidamente. Afinal, a força produtiva que provém da energia mental dos colaboradores já não irá atuar com a mesma intensidade inicial.

O exemplo abaixo demonstra as possibilidades de um cenário em que a situação pode sair do controle. Uma casa familiar será utilizada como exemplo, comparando as rotinas ao fluxo de trabalho de uma empresa.

Uma comparação convencional

Imagine uma residência em que uma família está organizando o casamento da filha mais velha. No início todos parecem entusiasmados com a novidade. Afinal, cada item a ser organizado para a cerimônia parece uma experiência extremamente vibrante!

É aí que está o problema. O fluxo de rotinas não vai sair como o planejado, problemas vão surgir e isso irá desgastar aos poucos os participantes.

O vestido ficará mais caro do que o esperado, o salão de festas não estará disponível no dia previsto, um familiar adoeceu e por aí vai. São inúmeros os possíveis casos que irão contribuir para o desgaste do “precioso momento”.

Como essa situação poderia se tornar mais leve e agradável? É aí que entra a gamificação, contribuindo para trazer uma dinâmica motivadora.

Gamificando processos

A gamificação utiliza de princípios e elementos de design de jogos em contextos diferentes de um jogo, como pontuação e níveis, para tornar o processo mais animado, construtivo, motivador e até mesmo desafiador. É uma ferramenta que humaniza as relações.

gamification
gamification

Ainda utilizando o exemplo da família, todo o cenário vivenciado poderia ser trabalhado com base na gamificação. Utilizando de sistemas de pontuações e avanços de níveis.

As “missões”, como podem ser chamadas as tarefas, seriam realizadas levando em conta os pequenos detalhes. A conclusão de todas as tarefas previstas pode ser considerada uma missão completa.

Já com relação ao casamento, imagine uma barrinha de pontuação com a ilustração de cada participante colada na geladeira. A cada avanço na organização, essa barrinha se eleva e chega mais próximo do topo (o casamento).

O foco desse processo não é a competição, mas a valorização da ação individual, que destaca o desempenho e enaltece as conquistas. A inserção de prêmios pode deixar o processo de gamificação ainda mais motivador.

A mudança com a gamificação

Em casa ou na empresa, as regras precisam ser bastante claras. Pois todo envolvido deve ter plena ciência de seus desafios (rotinas), assim como seus prêmios (objetivos alcançados).

Essa transformação comportamental é vital para a manutenção do propósito da organização ao longo prazo.

A implantação de uma estrutura moldada nos princípios comportamentais, que valoriza a prática de processos leves, inteligentes e eficazes e que possui base em tecnologias de controle, se mostra o caminho para o sucesso organizacional.

Na Kyros, essa transformação digital é denominada Lean Digital Gamification e possui os princípios do Lean Agile.

Transformação digital comportamental

Pensando no sucesso e priorizando a qualidade de vida dos profissionais, a Kyros segue trabalhando em prol do progresso eficaz das empresas, desenvolvendo ferramentas e soluções que promovem a mudança de comportamento das pessoas a favor da organização.

Soluções essas que visam a integração completa da empresa, em um ambiente harmônico e de grande estímulo para todos os colaboradores.

Confira o infográfico convencional x digital e surpreenda-se com o real impacto da transformação digital em um ambiente que há tempos está habituado a processos tradicionais!

Postado por Kyros Tecnologia em 2 setembro, 2020


Comentários

POSTS RELACIONADOS