5318

kyts e os diferenciais de uma ferramenta de testes

Uma boa ferramenta de teste pode ajudar grandemente as empresas a checarem a qualidade dos softwares desenvolvidos, com benefícios, vantagens e diferenciais.

E é justamente por isso que hoje preparamos um post especial para falar para você do Kyts – a ferramenta da Kyros que permite fazer esse trabalho.

Já falamos aqui no blog um pouquinho sobre a importância da gestão de testes em diferentes cenários e agora iremos focar no que o Kyts pode oferecer a seus usuários e te ajudar a entender melhor na prática como pode ser útil.

Veja a seguir as principais funcionalidades dessa ferramenta de teste e o modo como elas atuam em um bom processo de testes que pode ser dividido em três fases:

Configuração da ferramenta

Uma das principais funcionalidades que o Kyts oferece, logo de cara, é a possibilidade de se fazer a configuração da ferramenta de teste de modo a fazer a inclusão de anexos a ocorrências registradas e mais uma série de procedimentos.

No primeiro caso, referimo-nos à ocorrência que será destinada ao analista que está desenvolvendo o projeto, de modo que ele possa acompanhar e também intervir sobre o processo.

Também é possível fazer o levantamento de requisitos, a especificação de cenários de testes e a importação de casos de testes de uma planilha que esteja em Excel, por exemplo. Funcionalidades e passos nesse sentido são:

  • Configuração de Perfis de acesso ao projeto (liberação para quem vai fazer os testes);
  • Configuração de Releases, TestSets e Builds (abertura de ocorrências);
  • Configuração do Kyts (a partir daqui o Kyts pronto para ser utilizado pelo analista de testes);
  • Gestão de testes (etapa em que é possível cada um dos analistas de testes marcar os cenários que ele próprio deseja executar).

Execução dos testes

Em seguida, com a ferramenta de teste configurada é possível dar início à execução da checagem.

Outras funcionalidades presentes no Kyts que irão contribuir estão divididas em: gestão de defeitos – para permitir identificação, ciência das origens das falhas e correção de erros ou problemas no desempenho – e a opção de “ocorrências” (em que é possível abrir todas as ocorrências, tornando-as customizáveis).

Durante a execução dos testes e das ocorrências a utilização dos indicadores é uma maneira eficiente para gerar gráficos de evolução de testes e de ocorrências.

Caso não haja erro nos testes, após essas etapas, os cenários já podem, então, ser finalizados.

Finalização com a ferramenta de teste

Por fim, com todo o trabalho de testes feitos e configurados é possível ainda ter acesso a um histórico completo de execuções dos casos de teste.

Isso facilita o controle de qualidade e ainda permite a inclusão de anexos de evidências dos testes (prints das telas) de modo que fique bastante documentado e evidenciadas as etapas, maneira de certificar e aprimorar a ferramenta constantemente.

E então, sua empresa já conta com uma boa ferramenta que a auxilie a testar ocorrências e o desempenho de suas soluções, garantindo maior qualidade, credibilidade e satisfação nos resultados?

Fale com a Kyros ou veja aqui também quando vale a pena investir em automação de testes e comece a melhorar esse processo em seu negócio agora mesmo!

Postado por Kyros Tecnologia em 5 setembro, 2018


Comentários

Infográfico Tipos de Testes de Software

POSTS RELACIONADOS