Desenvolver app requer alguns cuidados básicos muito importantes para evitar desapontamentos! Veja quais!

4498

Erros que não se deve cometer na hora de desenvolver app

A tarefa de desenvolver app envolve muitas fases e é sempre rodeada de fatores que precisam ser bem observados para garantir a qualidade da aplicação.

Se não forem tomadas as devidas precauções e providências alguns erros tendem a acontecer no processo e podem comprometer todo o desenvolvimento.

Para ficar atento a eles e a seus riscos é necessário, portanto, conhecer quais são os principais entraves que podem ocorrer e entender de que forma proativa é possível agir para evitá-los ou corrigi-los!

Que tal compreendê-los melhor e também entender um pouco sobre as medidas nesse sentido para que não haja desapontamentos?

Fique por dentro dos principais erros que devem ser observados para evitar problemas:

Definição incorreta dos objetivos do app

Tudo parte daqui. Antes mesmo de chegar à parte de desenvolvimento é preciso definir com clareza quais são os objetivos, com a solução, para que não existam erros em funcionalidades, esboços e implementações.

Em outras palavras, o resultado final tem que ficar o mais próximo possível do que foi delimitado, ainda que o projeto possa sofrer adaptações em sua evolução.

O fato é que sabendo aonde se quer chegar, a empresa consegue escolher com muito mais facilidade desde o início as ferramentas, metodologias e as fases pelas quais ele deverá passar, bem como suas verificações.

É importante proceder à pergunta: “Qual o principal benefício do aplicativo? Ele é viável e plausível para o público que quero atingir?”.

Em seguida, você poderá montar o projeto da aplicação, discutindo as fases que serão percorridas e definindo os pré-requisitos e equipe necessária para viabilizá-lo, projetando inclusive os testes (veja aqui algumas etapas de como fazer um protótipo de app, por exemplo), para começar de uma forma segura e acertada.

Desenvolver app sem analisar o mercado

E a concorrência. É preciso conhecer o nicho em que você vai lançar um app e não somente se existe demanda para ele ou não. Mas também — e primordialmente — como a concorrência responde a ela.

Se há algo novo, lacunas que precisam ser preenchidas por um app de nova geração, por exemplo, para apresentar inovação.

É preciso explorar se já existem aplicativos concorrentes no mercado que ofereçam as mesmas vantagens do produto e, caso haja, buscar algum diferencial (que pode ser na usabilidade, por exemplo).

Também é preciso pensar em como monetizar o principal benefício para refinanciar o desenvolvimento e certificar-se de que ele é aceito na loja de aplicativos segmentada em que deseja lançá-lo — para garantir a adesão.

Não pensar adequadamente no lado técnico

Depois de encontrar o conceito viável para desenvolver o app, é a hora de partir para o lado técnico e aí então a atenção deve ser redobrada.

O app deve ser, na medida do possível, leve e extremamente funcional, o que exige, por exemplo, evitar a inserção de recursos desnecessários (o que só sobrecarregaria a aplicação).

É preciso identificar quais características seriam mais funcionais e levar também em conta a seleção das plataformas em que ele será inserido. 

É importante compreender, por exemplo, se ele será feito para Android ou IOS (veja mais sobre esse assunto aqui).
Essa etapa é de suma relevância, pois se você não conseguir certificar-se de pensar em todas as possibilidades e alternativas corre o risco de limitar seu público e assim não atingir os objetivos que espera.

Negligenciar a experiência do usuário

Por fim, desenvolver app é algo que requer estrita observância sobre a satisfação dos clientes e a experiência que eles terão com o produto.

É preciso ter atenção sobre a importância de um sistema de navegação eficaz, que não trave, de preferência que seja intuitivo, bem como testar o auto beta e/ou fazer um plano de backup, por exemplo.

Quando o aplicativo já estiver inserido no mercado e sendo utilizado pelos usuários é essencial também fazer uma análise com o Google Analytics checando seu desempenho. Verificar usuários ativos diários (DAU), taxas de retenção, o tempo médio gasto na aplicação (por quanto tempo eles navegam), o engajamento e o possível ato de reportarem falhas é importante para atentar-se a melhorias e potencialização de resultados.

E então, sua empresa já tem um bom controle de qualidade ao desenvolver app para entregar o melhor resultado ao usuário final? Precisa de ajuda para implementar métodos eficazes nesse trabalho e obter o máximo de sucesso?

Fale com a Kyros!

Postado por Alessandra Patriarca em 31 janeiro, 2018


Comentários

Infográfico Tipos de Testes de Software

POSTS RELACIONADOS