6534

Mobile tendências – Realidade Virtual (RV) e Realidade Aumentada (RA)

A chamada área Mobile, ou seja, o conjunto de aplicações e soluções feitas especialmente para funcionar nos dispositivos móveis como tablets, notebooks e especialmente smartphones, sofre constantes transformações e aprimoramentos para se adaptar a novas tendências e demandas.

Representando praticidade e um comportamento já habitual da maioria das pessoas e, em especial, dos consumidores – que hoje já realizam grande parte de suas compras e pesquisas pela internet – a área Mobile já não pode mais ficar fora do planejamento das empresas, que precisam adotar estratégias para criar maior engajamento de clientes com diferenciais tecnológicos e com isso aumentar a competitividade frente a concorrência.

E falando com relação a diferenciais tecnológicos, temos os recursos de Realidade Virtual ou Realidade Aumentada. Com eles o cliente, através de um App de sua empresa, tem a possibilidade de fazer parte da experiência do produto. Antes mesmo de tê-lo efetivamente.

Para você entender melhor como isso pode impactar seu negócio, veja a seguir:

“Imersão” na experiência de compra

Em primeiro lugar, vamos entender brevemente o que é a chamada Virtual Reality (VR) e Augmented Reality (AR). Esses conceitos podem, a princípio, significar o uso de diversas tecnologias para criar um ambiente de “interação simulada”. Geralmente por meio de recursos 3D e recursos gráficos de alta qualidade.

É um modo de trabalhar os “sentidos” do cliente. Parecido com o do chamado marketing sensorial, embora não seja a mesma coisa. Mas permite, por “simulações”, que ele se “conecte” mais ao produto. Ou que desperte mais para a necessidade ou desejo de adquiri-lo.

Ele se sente parte da experiência. Assim pode ver o quanto aquela experiência o impacta.

Possibilidade de “explorar” e analisar de antemão a capacidade de um serviço

Um exemplo disso são alguns sites que promovem “tours virtuais”. Por meio de fotos 360º, em que o cliente pode visualizar o ambiente como um todo. Nesse sentido, é possível que o visitante de um site ou aplicativo possa conhecer um local como se estivesse “passeando” por ele, por exemplo.

O próprio recurso Street View, do Google, é um exemplo bastante conhecido que simula essa experiência. Nele as pessoas conseguem “caminhar” pelas ruas e visualizar locais como se estivessem passando por eles.

O mesmo acontece em algumas empresas, parques, instituições de ensino, hotéis, entre outros espaços. Ao fazerem isso para os clientes interessados em seus serviços conhecerem de antemão o ambiente, a localização e características de cada espaço, oferecem uma experiência muito mais completa do que simplesmente olhar fotos isoladas.

Valorização dos produtos

Esse é outro ponto que conta. Com RV, as empresas conseguem, muitas vezes, fazer com que os clientes tenham a oportunidade de “experimentar”, ainda que de forma “não física”, a estrutura de funcionamento dos produtos.

É o caso de produtos que são demonstrados por meio de gráficos de mais de uma dimensão em catálogos. Ou a possibilidade até de o cliente “conhecer” e simular a “manipulação” de diversas peças ao clicar e alterná-las no site.

Isso gera uma demonstração prévia mais “real” e objetiva dos benefícios de que ele irá usufruir ao adquirir o produto. Tal fator pode ajudar na decisão de compra e também na verificação do cliente quanto à necessidade e, além de demonstração mais “viva” dos atributos do produto.

E então, sua empresa já precisou/pensou em investir em um diferencial e deseja saber por onde começar? Fale com a Kyros ou mande suas dúvidas pelos comentários!

Postado por Kyros Tecnologia em 18 janeiro, 2019


Comentários

Infográfico: Uma visão geral do cenário de ti

POSTS RELACIONADOS