Conheça 7 problemas que a gestão de testes resolve e descubra uma ferramenta que pode te ajudar com essa tarefa em nosso post.

3607

7 problemas que uma ferramenta para a gestão de testes resolve

Quando um software é lançado a experiência dos usuários é algo que rapidamente dirá se haverá boa aceitação e perspectivas. Por isso ela deve ser considerada antes mesmo de ele ser colocado no ar — ainda nas etapas de desenvolvimento.

E o que garante a observância desses fatores é principalmente a realização de testes corretamente. Eles precisam, por sua vez, serem práticos e precisos, a fim de que se possam detectar falhas a tempo e corrigi-las.

Veja a seguir 7 problemas que uma ferramenta para a gestão de testes resolve e por que começar a implementá-la desde já com sucesso em sua empresa:

Falha na segurança

Segundo a pesquisa Cyber Security Insights, ataques cibernéticos causaram prejuízos de mais de R$ 33 bilhões só a empresas do Brasil em 2016.

A perspectiva, em âmbito global, é que eles somem U$ 6 trilhões até 2021, de acordo com a consultoria Cyberventures.

Ao passar pelos estágios de aprovação, logo, o software precisa ser minimamente testado contra invasões ou falhas de segurança que possam ocasionar perda ou vazamento de dados, por exemplo (entre outros inconvenientes).

Nesse ponto, a gestão de testes permite identificar previamente o quanto o software é seguro. Assim, permite arquitetar sistemas de proteção mais inteligentes contra as principais ameaças detectadas.

Automatização

Falhas operacionais também devem ser observadas de perto, inclusive durante a manipulação do programa por seus usuários.

Descuidos humanos são responsáveis, muitas vezes, por expor informações confidenciais da empresa a terceiros ou colocá-las em maior vulnerabilidade.

Um software precisa estar preparado para realizar tarefas automatizadas obedecendo quesitos de proteção. Verificar como ele se comporta, reforçando a requisição de senhas, por exemplo, para realizar ações importantes, permite pensar em critérios mais seguros de funcionamento. Ou também até a instituir mecanismos de bloqueio proativos.

Erros de qualidade

Além de proporcionar usabilidade e utilidade para os clientes (internos ou externos) a solução precisa respeitar uma série de requisitos de qualidade.

Boa performance aliada à segurança é, aliás, o que evitará entraves sérios. Muitas vezes impasses surgem na fase posterior justamente por não haver uma ferramenta de gestão de testes envolvida no trabalho.

Falta de controle

Algo muito interessante também da boa gestão de testes é o aumento de controle sobre as fases de desenvolvimento.

Com uma ferramenta aliada pode-se configurar o workflow de acordo com a metodologia escolhida para o projeto e, assim, monitorá-lo muito melhor.

Além disso, pode-se criar cenários de testes, acompanhar a rotina e situação das fábricas e também as evidências e planejamentos.

Com uma visão mais apurada de tudo o que acontece em todas as etapas, fica mais fácil intervir em caso de problemas e aplicar ajustes.

Isso evita até mesmo que um problema passe despercebido e comprometa adiante, tornando mais difícil e trabalhosa a correção depois.

Gastos na produção

Por meio de funcionalidades assim bem ajustadas evita-se também maiores gastos e custos desnecessários na produção.

Sem contar que, entregando um software de boa qualidade, impede-se que a solução volte para que haja etapas a serem refeitas e maiores gastos de tempo, mão-de-obra e também recursos com retrabalho.

Perda de credibilidade

Com uma ferramenta que auxilie na gestão de testes de software é possível entregar um produto final muito mais alinhado. Atendendo às expectativas do cliente e apresentando bom desempenho desde o começo ganha-se confiança.

Isso porque a constância de erros acaba afetando a credibilidade e também prejudicando a imagem da empresa que desenvolve. Tal situação a coloca em desvantagem no mercado, o que não é interessante para o fator competitividade.

Incertezas nos prazos e entregas 

Por fim, uma ferramenta que dê maior produtividade aos profissionais na hora dos testes, facilitando-os, ajuda a otimizar tempo e liberação de projetos.
E o melhor de tudo: sem perder em qualidade.

Com ela garante-se cumprimento dos prazos e entrega ao mercado de um produto confiável dentro do time to market.

E então, você já realiza um bom controle de testes em seus softwares? Que tal conhecer o Kyts, uma ferramenta que poderá te ajudar grandemente nessa tarefa!

Postado por Kyros Tecnologia em 23 agosto, 2017


Comentários

Infográfico Tipos de Testes de Software

POSTS RELACIONADOS