Automatizar a gestão de testes pode trazer inúmeros benefícios, como maior qualidade e otimização de tempo. Descubra mais sobre a automação de testes!

5157

Quando vale a pena investir em automação de testes?

As etapas de testes são muito importantes em um projeto de desenvolvimento de software por garantirem a correta verificação dos atributos presentes na solução, o que faz crescer a consideração em termo da automação de testes.

No entanto, apesar de conhecer algumas vantagens, determinadas empresas ainda podem ter dúvidas sobre qual o momento ideal para investir em automação nesse sentido.

Para te ajudar a refletir sobre essa questão, trazemos alguns pontos a seguir! Confira:

Quando sua empresa precisa ganhar tempo

Uma das principais coisas que contam bastante hoje em dia no sucesso das empresas é a gestão e otimização do tempo e o chamado time-to-market.

Se a empresa não conseguir ser competitiva nesse sentido e tornar-se capaz de lançar suas soluções em tempo hábil, frente aos concorrentes, dificilmente consegue algum diferencial.

Mas também não adianta lançar “às pressas”, sem certificar-se das funcionalidades, correndo o risco de disponibilizar o produto com erros — “bugs” que irão causar má impressão, reclamações e mesmo rejeição no público usuário.

Desse modo seria até mesmo possível unir uma ferramenta que pudesse facilitar o lançamento de novas versões de produtos ou serviços (leia sobre o Klonner), enfim, de maneira que a empresa não tenha o retrabalho inicial, simplificando a gestão de “novas versões” de um produto quando ele já parte de um existente, no mesmo contexto em que a automação de testes garantiria a qualidade e a validação de todas as etapas em um projeto (Kyts).

A automação de testes reduz o tempo necessário para confrontar todas as versões de testes e validá-lo, o que ajuda a lançar um produto de maior qualidade em menor tempo.

Quando o trabalho exige maior confiança

Pode até ser que uma empresa consiga testar e validar o trabalho de software internamente, mas com o tempo pode perceber que isso não está sendo suficiente.

As razões para isso nem sempre são falta de qualificação da equipe, mas sim complexidade nos projetos de software e nos testes ou mesmo múltiplas versões, o que dificulta o trabalho de checagem se não houver uma ferramenta que auxilie esse gerenciamento.

As margens de erro podem ser elevadas quando os componentes são conferidos um a um “manualmente”, além do retrabalho que prejudica tempo e produtividade.

Além disso, ter uma ferramenta de automação de testes ajuda na visualização dos cenários das fábricas. Poder acompanhar com o auxílio de gráficos o andamento de cada fase do projeto traz a possibilidade de intervir muito mais prontamente nos erros (veja também 5 erros que você deve evitar no teste de softwares).

Quando a equipe precisa de um aliado

Contar com uma ferramenta de testes pode reduzir o esforço de tarefas repetitivas, liberando a equipe para atividades que exijam maior raciocínio humano e que possam gerar inovação e diferenciais na implementação da solução.

Ou seja, liberam para que possam focar no que é estratégico.

Isso porque o trabalho de testes é contínuo e deixá-lo somente para as etapas finais pode custar muito para a empresa, tanto em termos financeiros, quanto de tempo e de imagem e credibilidade, caso a solução seja lançada ainda não bem acabada.

Quando a empresa sente dificuldades em otimizar os fluxos necessários pode ser também a hora de utilizar uma ferramenta de automação de testes.

Justamente porque ela soluciona essa dificuldade: a empresa consegue ajustar o workflow do projeto à metodologia com que ele escolhe trabalhar, automatizando etapas mais “operacionais” do trabalho, porém com elevada confiabilidade (ao contrário de checagem mais “manuais”, suscetíveis a falhas na detecção, em especial de pontos mais sensíveis no cenário de testes).

O que entra na automação de testes?

Por fim, vale lembrar que os testes em torno de um software, uma aplicação ou sistema desenvolvido nem sempre são iguais.

Isso faz surgir a dúvida: quais testes automatizar?

Existem diversos tipos de testes que podem, ainda, se complementar. Destacamos, nesse contexto, as categorias de testes (teste de caixa branca e de caixa preta), testes de regressão, de sistema, de integração, de instalação, de carga, performance, aceitação do usuário e interface.

Com uma ferramenta de automação, contudo, consegue-se efetivação em testes de diversas fases, garantindo a verificação do comportamento do software em cada situação em que ele deve funcionar, o que assegura maior qualidade antes da validação.

E então, sua empresa já tem uma ferramenta de automação de testes para agilizar e garantir maior segurança a esse processo? Conheça mais sobre o Kyts!

Postado por Kyros Tecnologia em 26 julho, 2018


Comentários

Infográfico Tipos de Testes de Software

POSTS RELACIONADOS